Quanto ao sinal gráfico trema é correto afirmar que: foi abolido pela reforma ortográfica.

O sinal gráfico trema, utilizado em algumas palavras da língua portuguesa para indicar a pronúncia do “u” depois de “g” e “q”, foi abolido pela reforma ortográfica. Essa mudança trouxe alterações significativas na escrita de várias palavras, o que gerou dúvidas e questionamentos sobre o uso correto do trema. Neste artigo, iremos discutir essa alteração e suas consequências no uso da língua portuguesa.

Qual é o sinal gráfico do trema?

O trema ( ¨ ), também conhecido como diérese, é um sinal gráfico utilizado em várias línguas para modificar o som de uma vogal. Ele pode ser colocado sobre uma vogal para indicar que ela deve ser pronunciada separadamente das vogais adjacentes.

Em português, o trema foi utilizado para indicar que a vogal “u” deve ser pronunciada em palavras como “pinguim” e “linguiça”. No entanto, em 2009, o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa eliminou o uso do trema em palavras de origem estrangeira e em suas derivadas. Portanto, atualmente, não é mais necessário utilizar o trema em palavras como “linguiça” e “sequência”.

Se quiser continuar a ler este post sobre "Quanto ao sinal gráfico trema é correto afirmar que: foi abolido pela reforma ortográfica." clique no botão "Mostrar tudo" e poderá ler o resto do conteúdo gratuitamente. ebstomasborba.pt é um site especializado em Tecnologia, Notícias, Jogos e muitos tópicos que lhe podem interessar. Se quiser ler mais informações semelhantes a Quanto ao sinal gráfico trema é correto afirmar que: foi abolido pela reforma ortográfica., sinta-se à vontade para continuar a navegar na web e subscrever as notificações do Blog e não perca as últimas notícias.

Seguir leyendo


Em outras línguas, como o alemão e o francês, o trema é usado para indicar que uma vogal deve ser pronunciada separadamente. Por exemplo, na palavra francesa “naïve”, o trema indica que o “i” deve ser pronunciado separadamente do “a”.

Quanto ao sinal gráfico trema, é correto afirmar que seu uso foi abolido após o acordo ortográfico?

Quanto ao sinal gráfico trema, é correto afirmar que seu uso foi abolido após o acordo ortográfico?

Sim, é correto afirmar que o uso do trema foi abolido após o acordo ortográfico. De acordo com as regras estabelecidas pela nova reforma ortográfica, o trema não é mais utilizado nos grupos silábicos representados por “que”, “qui”, “gue” e “gui”. Isso significa que palavras como “frequente”, “sequência”, “linguagem” e “pinguim”, por exemplo, não devem mais ser escritas com trema.

No entanto, existem algumas exceções em que o trema ainda pode ser utilizado. Um exemplo é nos casos de palavras derivadas de nomes próprios estrangeiros, como “Müller” e “Hübner”. Nessas situações, o trema é mantido para preservar a pronúncia original do nome. Além disso, o trema também pode ser utilizado em nomes próprios estrangeiros que ainda não foram aportuguesados.

Quando é usado o trema?

Quando é usado o trema?

O trema é um sinal diacrítico que consiste em dois pontos colocados sobre a vogal u (ü). Ele era utilizado na língua portuguesa para indicar que a vogal u deveria ser pronunciada separadamente do que a precede. No entanto, com a reforma ortográfica de 2009, o trema foi abolido em todas as palavras da língua portuguesa, com exceção dos nomes próprios estrangeiros e seus derivados.

Antes da reforma, o trema era utilizado em palavras como aguentar, ambiguidade, bilíngue, cinquenta, consequência, delinquente, equino, frequência, linguiça, linguística, pinguim, sequestro, tranquilo, entre outras. Com a abolição do trema, essas palavras passaram a ser escritas sem ele. Por exemplo, em vez de “linguiça”, agora escrevemos “linguiça”. No entanto, é importante ressaltar que o trema ainda é utilizado em nomes próprios estrangeiros e seus derivados, como Hübner, Müller, entre outros.

Como ficou o uso do trema com o novo acordo ortográfico?

Como ficou o uso do trema com o novo acordo ortográfico?

Com a implementação do novo acordo ortográfico, o uso do trema foi abolido na língua portuguesa, com exceção para nomes próprios estrangeiros e seus derivados. Isso significa que palavras como ‘linguiça’, ‘sequência’ e ‘tranquilo’ não terão mais o trema sobre a letra ‘u’.

Entretanto, é importante ressaltar que o acento agudo ainda é utilizado em algumas situações específicas. Por exemplo, ele é mantido em palavras oxítonas (aquelas que têm a última sílaba como a mais forte) como ‘herói’, ‘órgão’ e ‘paranóia’. Além disso, monossílabas tônicas (palavras com apenas uma sílaba, mas que são acentuadas) terminadas em ‘éi’, ‘éu’ e ‘ói’ também conservam o acento, como em ‘céu’, ‘réu’ e ‘você’.

Essas alterações têm como objetivo simplificar a escrita e a uniformização da língua portuguesa, facilitando a comunicação entre os países lusófonos. É importante estar atento às novas regras para utilizá-las de forma correta.

Por que o trema foi abolido da língua portuguesa?

O trema foi abolido da língua portuguesa devido à falta de consenso sobre o seu uso entre os países lusófonos, sendo mais comum no Brasil. Com a implementação do acordo ortográfico, que visa a unificação da grafia, optou-se por remover o trema em vez de implementá-lo nos demais países. Essa mudança tornou a escrita mais simples e afetou apenas a forma de escrever dos brasileiros.

O acordo ortográfico também trouxe outras alterações na língua portuguesa, como a eliminação de algumas exceções e a padronização de algumas regras. O objetivo principal é facilitar a comunicação escrita entre os países de língua portuguesa, proporcionando uma grafia mais uniforme. Apesar de algumas resistências e críticas, a adoção do acordo ortográfico é importante para a integração e cooperação entre os países lusófonos, além de facilitar o aprendizado e o uso da língua portuguesa em âmbito internacional.