27 Atrações turísticas com melhor classificação no Vale do Loire

O Vale do Loire convida os visitantes a entrar no cenário de um conto de fadas, com castelos deslumbrantes e uma paisagem encantadora. A área é chamada de "Jardim da França" e por sua beleza, além das oportunidades de caça, o Vale do Loire era frequentemente visitado pelos reis franceses.

Durante os séculos XV e XVI, os reis franceses construíram extravagantes retiros campestres em meio às florestas e rios do Loire. Esses luxuosos castelos reais tornaram-se lendários e nobres ricos seguiram o exemplo criando suas próprias casas grandiosas na área.

Se quiser continuar a ler este post sobre "27 Atrações turísticas com melhor classificação no Vale do Loire" clique no botão "Mostrar tudo" e poderá ler o resto do conteúdo gratuitamente. ebstomasborba.pt é um site especializado em Tecnologia, Notícias, Jogos e muitos tópicos que lhe podem interessar. Se quiser ler mais informações semelhantes a 27 Atrações turísticas com melhor classificação no Vale do Loire, sinta-se à vontade para continuar a navegar na web e subscrever as notificações do Blog e não perca as últimas notícias.

Seguir leyendo


Os suntuosos castelos renascentistas foram projetados exclusivamente para diversão e entretenimento, uma extensão da vida da corte fora de Paris. O grandioso Castelo de Chambord é o castelo mais opulento, enquanto Chenonceau é o mais elegante.

O Vale do Loire, classificado pela UNESCO, é um dos lugares mais fascinantes para se visitar na França. Encontre as melhores coisas para ver e fazer na região com nossa lista das principais atrações turísticas do Vale do Loire.

1. Castelo de Chambord

Castelo de Chambord

Em uma localização majestosa na margem esquerda do rio Loire, o Château de Chambord é o monumento renascentista mais emblemático da França. Uma vista de tirar o fôlego, este magnífico castelo real serviu de inspiração para a construção do Château de Versailles.

A propriedade foi criada no início do século XVI (no auge do Renascimento francês) por François I , que não poupou despesas. O edifício foi construído em uma escala de imensas proporções, medindo 117 metros por 156 metros.

Com torres com torres, tetos abobadados impressionantes, 440 quartos e uma gigantesca escada de dupla hélice no hall de entrada, o Château de Chambord é definitivamente digno de um rei. Luís XI V residia frequentemente aqui, hospedando bailes de gala, festas de caça e saraus divertidos. O célebre dramaturgo Molière apresentou sua comédia Le Bourgeois Gentilhomme enquanto estava hospedado no castelo como convidado de Luís XIV.

A extensa propriedade de Chambord é cercada por um muro de 32 quilômetros (o mais longo da França), com seis portões que permitem o acesso ao terreno. Dos 5.500 hectares de parques da propriedade, quatro quintos são florestas intocadas.

Os visitantes ficam deslumbrados com os jardins formais franceses que são paisagísticos em padrões geométricos com arbustos perfeitamente cuidados e canteiros de flores arrumados. O terraço italiano do jardim era uma característica central da vida da corte quando o rei estava na residência.

Hoje Chambord é um destino imperdível no Vale do Loire, a cerca de duas horas de carro de Paris. Os turistas podem fazer uma viagem de trem de 80 minutos da estação Paris Austerlitz até a estação Blois Chambord, que fica a 25 minutos de ônibus ou táxi do castelo.

A propriedade Château de Chambord inclui várias áreas de jantar. O Café d'Orléans dentro do castelo oferece um menu gourmet para o almoço. No parque da propriedade, o Autour du Puits é um snack-bar com mesas ao ar livre. Em frente ao castelo, a Place Saint-Louis tem muitos restaurantes e lanchonetes casuais.

Endereço: Château, 41250 Chambord

Site oficial: http://www.chambord.org/en/

Hospedagem: Onde Ficar no Vale do Loire

2. Castelo de Chenonceau

Castelo de Chenonceau

Chenonceau foi fortemente influenciado pelas mulheres famosas que viveram aqui, e é fácil detectar a influência feminina. Com um ar de delicadeza e grandeza, as suntuosas salas de recepção do castelo já foram o cenário ideal para reuniões sociais e salões literários. Hoje, o castelo encanta os visitantes com seu interior bem preservado e toques especiais, como arranjos florais.

Em 1535, o castelo tornou-se propriedade de Henrique II, que apresentou o castelo à sua amante, Diane de Poitiers, em 1547. A viúva de Henrique, Catarina de Médicis, que assumiu a residência real em 1533, foi responsável pela criação do elemento mais singular do castelo, o Corps de Logis.

O Corps de Logis é uma galeria de dois andares que fica sobre uma graciosa ponte em arco que atravessa o rio Cher, dando a impressão de que o castelo está flutuando na água. No interior, a galeria Corps de Logis exibe belas pinturas e tapeçarias antigas.

Igualando a beleza da arquitetura são os jardins primorosamente paisagísticos. O Jardin de Diane de Poitiers foi a visão criativa de Diane de Poitiers. Em estilo renascentista ordenado, este jardim francês formal apresenta gramados de formas geométricas pontilhadas com canteiros de flores. Todo o jardim é cercado por terraços elevados cobertos de rosas trepadeiras.

No Jardim de Catarina de Médicis , as rosas florescem nas treliças de um caminho pedestre, com vista para o fosso do castelo, uma cena sublime que certamente inspirará passeios de lazer. Nas noites de fim de semana de verão, os jardins ganham um brilho mágico, iluminado por centenas de lanternas para Passeios Noturnos (Caminhadas Noturnas).

Um novo jardim de estilo contemporâneo, o Jardin Russell Page , foi criado em 2018. Este pitoresco jardim murado foi inspirado nos desenhos do paisagista contemporâneo Russell Page.

Outra razão para ficar no château é o restaurante requintado da propriedade, L'Orangerie , que serve cozinha gastronómica preparada com ingredientes locais sazonais. O château dispõe ainda de uma sala de chá com um pátio exterior no Green Garden, bem como várias áreas de merendas .

O Château de Chenonceau é acessível pelo trem TGV de alta velocidade (uma hora de viagem) da estação Paris Montparnasse até a estação Tours. De carro, leva cerca de duas horas para chegar a Chenonceau de Paris.

Endereço: Château de Chenonceau, 37150 Chenonceaux

Site oficial: http://www.chenonceau.com/

3. Catedral de Notre-Dame de Chartres

Catedral de Notre-Dame de Chartres

A encantadora cidade velha de Chartres é coroada pela Cathédrale Notre-Dame de Chartres, classificada pela UNESCO , um importante destino de peregrinação durante a Idade Média. Esta imponente igreja gótica francesa fica em uma posição elevada, com suas torres altas visíveis à distância.

Construída nos séculos XII e XIII, a Catedral de Chartres é uma das melhores e mais bem preservadas igrejas medievais da França. A influência da Catedral de Chartres é vista em muitas outras catedrais góticas na Europa, incluindo Amiens e Reims na França, a Abadia de Westminster na Inglaterra, a Catedral de Colônia na Alemanha e a Catedral de León na Espanha.

A Cathédrale Notre-Dame de Chartres é mais conhecida por sua abundância de vitrais medievais intrincadamente detalhados (cerca de 3.000 metros quadrados) que estão perfeitamente preservados; a maioria das janelas data de 1210 a 1260, uma raridade excepcional existente. Particularmente impressionantes são as três imensas rosáceas .

Outras características notáveis ​​da catedral são as telas do coro gótico tardio com cenas da vida da Virgem e dos Evangelhos, e o terraço com vista panorâmica da cidade baixa.

Nas tardes de domingo durante o verão, a catedral recebe concertos como parte do Festival Internacional de Órgão de Chartres . De acordo com a tradição de música sacra da catedral, os corais se apresentam em certas noites em junho, julho e agosto.

Chartres fica a uma viagem de um dia fácil de Paris, a aproximadamente 90 minutos de carro do centro da cidade ou a uma hora de trem da estação Gare Montparnasse.

Endereço: 16 Cloître Notre Dame, 28000 Chartres

Mapa da Catedral de Chartres (Histórico)

4. Bourges

Bourges

Com muitos palácios antigos e casas de burgueses, a antiga cidade ducal de Bourges desfruta de uma localização pitoresca nos rios Yèvre e Aveyron, na província histórica de Berry.

A principal atração da cidade, a Cathédrale Saint-Etienne, classificada pela UNESCO, está entre as mais esplêndidas catedrais francesas construídas nos séculos XII e XIII. A fachada oeste ornamentada, ladeada por torres maciças, tem cinco portas com rica decoração escultórica e uma requintada rosácea do século XIV.

A entrada na catedral é feita pela porta sul românica, sobre a qual se encontra uma figura de Cristo em Majestade, rodeada pelos símbolos dos quatro evangelistas. O interior impressiona os visitantes com seu lindo santuário iluminado por vitrais do século XIII.

Outro edifício notável é o Palais Jacques Côur , um palácio construído em 1443-1453 pelo tesoureiro real Jacques Côur, exemplificando a arquitetura gótica secular.

A cerca de 30 minutos de carro a sudoeste de Bourges fica a abadia cisterciense de Noirlac , do século XII, um exemplo fantástico da arquitetura cisterciense com um claustro com arcadas que data dos séculos XIII e XIV.

Hospedagem: Onde Ficar em Bourges

Mapa de Bourges – Atrações (Histórico)

5. Castelo de Cheverny

Castelo de Cheverny

Uma propriedade privada cercada por bosques, o Château de Cheverny é um dos castelos mais encantadores do Vale do Loire. Esta excecional casa senhorial do século XVII alberga a mesma família há mais de seis séculos e abriu as suas portas ao público em 1922.

Os grandes salões e apartamentos notavelmente bem conservados do castelo são agraciados com móveis e decoração originais, como uma tapeçaria de Gobelin do século XVII e um baú Luís XIV, que fornecem uma visão da vida nobre de séculos atrás.

Para os mais interessados ​​na cultura popular francesa, o castelo tem uma exposição de tirinhas de Tintim . As exposições interativas mergulham os visitantes no mundo encantador de Tintim e seus amigos.

Um dos destaques do Château de Cheverny é o parque de estilo inglês , uma extensão bucólica de gramados verdes bem cuidados, sombreados por sequoias gigantes e cedros. Os mais aventureiros podem alugar um carro elétrico para dar uma volta pelo caminho florestal da propriedade ou passear de barco no lago.

Quando os visitantes precisam de refrescos, o Café de l'Orangerie se delicia com seus doces finos, sorvetes caseiros, lanches e bebidas, servidos no prédio do laranjal do século XVIII ou no terraço ao ar livre. Em dias ensolarados, a área de piquenique ao ar livre do castelo é outro local favorito.

O Château de Cheverny fica a uma curta viagem de carro ou trem de Paris (aproximadamente duas horas). A melhor opção de trem é da estação Paris Austerlitz até a estação Blois-Chambord e, em seguida, uma curta viagem de táxi ou ônibus (16 quilômetros) até o castelo.

Endereço: Avenue du Château, 41700 Cheverny

6. Azay-le-Rideau

Azay-le-Rideau

Situado em uma ilha no rio Indre, o Château d'Azay-le-Rideau tem a aparência de um castelo de contos de fadas. O reflexo da fachada nas águas plácidas cria uma impressão de sonho.

O castelo foi construído no século 16 por um rico financista. O design foi muito influenciado pela arquitetura renascentista italiana. As características mais notáveis ​​no piso térreo são a cozinha abobadada e a sala de jantar com uma chaminé ricamente decorada e inúmeras tapeçarias.

Na cidade de Azay-le-Rideau, há uma igreja interessante, a Eglise Saint-Symphorien , que mistura os estilos românico e gótico. A fachada da nave sul revela vestígios de relevos carolíngios.

No vizinho Castelo de Saché , o famoso autor Honoré de Balzac (1799-1850) escreveu alguns de seus romances. A sala onde Balzac trabalhava foi preservada como estava.

A apenas 10 quilômetros de Azay-le-Rideau, bem no coração do centro da cidade de Langeais, o Château de Langeais foi reconstruído por Luís XI em 1465, e este marco marcante permaneceu inalterado por séculos. Decorações originais e tapeçarias revelam o estilo de vida do final da Idade Média.

Os viajantes que visitam esta área podem passar a noite em estilo real no vizinho Château de Rochecotte, a cerca de 20 quilômetros do Château d'Azay-le-Rideau. Este hotel de 4 estrelas foi anteriormente a residência do Príncipe de Talleyrand e da Duquesa de Dino.

Garantindo uma experiência luxuosa, os quartos espaçosos apresentam uma decoração alegre e tradicional e vistas sensacionais para os jardins, enquanto a elegante sala de jantar do castelo serve almoço e jantar, além de chá da tarde, com sobremesas preparadas pelo confeiteiro do restaurante.

Os 24 hectares de parque arborizado da propriedade incluem jardins românticos, um terraço italiano e uma piscina aquecida.

7. Castelo de Valençay

Castelo de Valençay

O Château de Valençay foi construído em etapas desde a era medieval até o período renascentista e, por isso, o edifício combina uma variedade de estilos arquitetônicos. A ala principal revela elementos de design inspirados no Renascimento italiano, enquanto a ala lateral de dois andares é barroca.

A ala lateral também mostra a influência de Charles-Maurice de Talleyrand-Périgord ( Príncipe de Talleyrand ), ministro das Relações Exteriores de Napoleão, conhecido por seus talentos diplomáticos e arte de viver. Talleyrand adquiriu o castelo em 1803 e residiu aqui em quartos equipados com móveis de estilo Luís XV e Império.

Um dos destaques do castelo é a Galeria de Retratos de Família , adornada com pinturas que retratam os ancestrais de Talleyrand. Como uma homenagem ao príncipe Talleyrand, a Salle des Trésors do castelo exibe uma coleção de itens pessoais que pertenceram a Talleyrand.

Situado em um parque de 53 hectares, incluindo florestas exuberantes, a propriedade apresenta jardins formais imaculadamente bem cuidados com uma profusão de canteiros de flores, esculturas, piscinas decorativas e fontes. Ideais para relaxar, alguns dos espaços relvados dos jardins são designados como zonas de merendas.

A parte florestal do terreno apresenta um caminho de quatro quilômetros que atravessa a floresta para fazer caminhadas revigorantes pela natureza (carrinhos de golfe elétricos estão disponíveis alternativamente).

Outra propriedade excepcional nas proximidades é o Domaine de Poulanes na cidade de Berry (a apenas sete quilômetros do Château de Valençay). Os 4,5 hectares de jardins temáticos e arboreto do domínio foram premiados com o selo " Jardim Remarquable " ("Jardim Notável") em 2014.

O Domaine de Poulanes abrange uma floresta de 25 hectares com árvores centenárias frondosas, um jardim em estilo inglês , um jardim de flores e um arboreto que inclui 300 variedades diferentes de árvores. Um salon de thé (salão de chá) serve suco de maçã e doces caseiros preparados com frutas cultivadas no jardim.

Endereço: Château de Valençay, 2 Rue de Blois, 36600 Valençay

Site oficial: https://www.chateau-valencay.fr/en/

8. Orleães

Orleans

A maior cidade do Vale do Loire depois de Tours, Orléans é uma boa base para começar a explorar a região. Inseparavelmente ligada à história de Joana d'Arc , a cidade deve sua sobrevivência à "empregada de Orléans", de 17 anos, que ajudou a levar os franceses à vitória contra os ingleses quando Orléans foi sitiada em 1429.

Um pequeno museu em uma casa restaurada do século XV, a Maison de Jeanne-d'Arc é dedicada a Joana d'Arc, que agora é reconhecida como santa pela Igreja Católica.

Outro marco associado a Joana d'Arc, onde ela passou algum tempo em oração silenciosa, é a Cathédrale Sainte-Croix do século XIII. O exterior monumental da catedral apresenta torres gêmeas (81 metros de altura), cinco portas e elaborada decoração barroca. O tamanho do interior deixa uma impressão duradoura, enquanto os vitrais coloridos permitem que os visitantes se maravilhem com a história de Joana d'Arc.

Para uma maior imersão na cultura da cidade, o turista pode conferir a coleção de arte do Musée des Beaux-Arts , que exibe cerca de 700 obras (pinturas, esculturas e objetos decorativos) do século XV ao XX, como peças de Correggio, Tintoretto, Delacroix, Gauguin e Picasso.

A cerca de 27 quilômetros de Orléans fica o Château de Meung-sur-Loire , um dos castelos mais antigos do Vale do Loire. Situado em extensos parques, o castelo revela a evolução da arquitetura francesa com sua variedade de detalhes arquitetônicos, das torres do século XII à fachada do século XVIII. O castelo também desempenhou um papel estratégico para Joana d'Arc em 1429 em um momento crucial durante a Guerra dos Cem Anos.

Hospedagem: Onde Ficar em Orleans

Mapa de Orleans – Atrações (Histórico)

9. Amboise

Amboise

A cidade medieval de Amboise foi construída ao longo da margem esquerda do rio Loire (cerca de 25 quilômetros a leste de Tours) com uma densa floresta ao fundo.

A atração mais fascinante da cidade é o Château Royal d'Amboise, onde os reis franceses residiram por cinco séculos. Erguendo-se orgulhosamente em um penhasco rochoso com quase 40 metros de altura, o castelo oferece um ponto de vista fantástico da paisagem do Vale do Loire.

Construído principalmente durante o reinado de Carlos VIII no século XV, o castelo exemplifica a arquitetura gótica tardia com sua fachada ricamente articulada e imponentes torres redondas.

Dentro do Château Royal d'Amboise está a Chapelle Saint-Hubert , construída por volta de 1491 para o rei Carlos VIII e sua esposa Anne de Bretagne, que era a duquesa da Bretanha. A capela é um belo exemplo da arquitetura gótica extravagante, com esculturas e gárgulas intrincadas na fachada e um interior de caixa de joias iluminado por vitrais brilhantes.

Outra grande atração em Amboise é o Château du Clos Lucé , onde Leonardo da Vinci passou os últimos três anos de sua vida. Nesta esplêndida propriedade, os visitantes podem aprender tudo sobre o grande homem renascentista. Ao longo do ano, o Château du Clos Lucé apresenta exposições permanentes sobre a história de vida e realizações de Leonardo da Vinci.

Ao longo do ano, o Château du Clos Lucé apresenta exposições que se concentram nos projetos e ideias originais de Leonardo da Vinci (como sua visão de criar um veículo voador). Os visitantes devem reservar tempo para passear pelo Jardim de Leonardo , projetado como um museu ao ar livre para explicar a pesquisa científica de Leonardo da Vinci sobre temas de geologia e botânica.

Hospedagem: Onde Ficar em Amboise

Mapa de Amboise – Atrações (Histórico)

10. Blois

blois

Empoleirada em duas colinas acima do rio Loire, a histórica cidade de Blois está cheia de ambiente do velho mundo. As características típicas de uma cidade medieval são todas encontradas aqui: ruas medievais estreitas, edifícios em enxaimel, um castelo monumental e uma catedral imponente.

Ostentando um pedigree real, Blois foi uma residência real para sete reis franceses. Durante os reinados do rei Luís XII e do rei Francisco I, a cidade desempenhou um papel semelhante ao do Castelo de Versalhes para Luís XIV.

Originalmente uma cidadela fortificada, o Château Royal de Blois reflete a mudança dos estilos arquitetônicos das épocas em que foi construído (séculos XIII a XVII). Por exemplo, a ala Francisco I é uma obra-prima da arquitetura renascentista com uma grandiosa escadaria octogonal.

A uma curta caminhada do castelo fica uma antiga igreja beneditina, a Eglise Saint-Nicolas , dos séculos XII a XIII, famosa por seus vitrais que iluminam o santuário harmonioso.

Situada em um terreno elevado na cidade velha, a Cathédrale Saint-Louis surpreende os visitantes com seu interior abobadado simples e sem adornos e vitrais contemporâneos. Depois de dar uma olhada na catedral, os turistas devem ter tempo para admirar as belas casas dos antigos burgueses nas proximidades.

Os aficionados por história também apreciarão o Centre de la Résistance, de la Déportation et de la Mémoire (6 Place Victor-Hugo) da cidade, que narra os esforços de resistência francesa, o período de ocupação e a libertação no final da Segunda Guerra Mundial.

Hospedagem: Onde Ficar em Blois

  • Consulte Mais informação:
  • Atrações e coisas para fazer mais bem avaliadas em Blois

11. Domaine de Chaumont-sur-Loire

Domaine de Chaumont-sur-Loire

A cerca de 18 quilômetros de Blois, o Château de Chaumont parece ter saído direto da página de um conto de fadas. Este castelo em forma de fortaleza com várias torres e torres foi fundado no ano 1000, reconstruído pelo rei Luís XI por volta de 1465 e adquirido por Catarina de Médicis em 1550.

Os apartamentos do castelo, incluindo a sala Catherine de Médicis , estão lindamente decorados com tapeçarias históricas e obras de arte. Muitos dos quartos foram recentemente embelezados com móveis e decoração renovados, permitindo que os visitantes apreciem o castelo em toda a sua glória original. Tanto o castelo quanto seus jardins de estilo inglês estão abertos ao público.

Além de seu apelo turístico, o Domaine de Chaumont-sur-Loire possui um Centro de Artes e Natureza que apresenta exposições contemporâneas da " Temporada da Arte ", mudando anualmente para mostrar o trabalho de artistas emergentes, com obras de arte, esculturas e instalações criativas exibidas em todo o o castelo e os jardins.

O castelo também abriga o " Festival International des Jardins ", um festival de paisagismo de jardins que se inspira em conceitos da literatura e da poesia.

Endereço: 41150 Chaumont-sur-Loire

Site oficial: http://www.domaine-chaumont.fr/en

12. Passeios

Hotel de Ville em Tours

É um prazer descobrir esta cidade histórica com um passeio tranquilo. Um passeio pelas ruas de paralelepípedos entre a Place Plumereau e a Place du Grand-Marché dará uma impressão do caráter de Vieux Tours (a cidade velha). Com seu pátio arborizado, cafés ao ar livre movimentados e belas casas em enxaimel, a Place Plumereau é um lugar particularmente convidativo para parar.

Os turistas devem planejar passar algum tempo na Cathédrale Saint-Gatien para admirar a fachada gótica extravagante, bem como o glorioso santuário abobadado, iluminado por vitrais do século XIII.

A poucos passos da catedral está o Musée des Beaux-Arts de Tours , que exibe obras-primas da arte do século XIV ao XX, incluindo pinturas de Rubens, Rembrandt, Delacroix, Degas e Monet.

Ao norte da catedral, o medieval Château de Tours apresenta exposições de fotografia criadas em parceria com o Musée Parisien de la Photographie.

Para outra dose de cultura, os turistas podem continuar caminhando (cerca de 15 minutos a oeste do Château de Tours) até o Hôtel Goüin , uma mansão renascentista que abriga exposições de arte contemporânea.

Hospedagem: Onde Ficar em Tours

Mapa de Passeios – Atrações (Histórico)

13. Raiva

Chateau d'Angers

Outrora a capital do condado de Anjou, Angers é dominada pelo Château d'Angers , situado majestosamente em um penhasco de 32 metros de altura acima do rio Maine. Construída no século XIII como fortaleza, esta vasta cidadela é cercada por fortes muralhas defensivas, com 17 torres redondas. Nos séculos XIV e XV, a vida da corte floresceu aqui sob os duques de Anjou, patronos das artes.

O castelo é conhecido por sua coleção de tapeçarias, principalmente a Tapeçaria do Apocalipse , uma importante obra de arte medieval. Uma das coisas divertidas para fazer ao visitar o castelo é passear pelas muralhas, que oferecem vistas panorâmicas da paisagem circundante.

Na cidade velha de Angers, a Cathédrale Saint-Maurice d'Angers surpreende os visitantes com seus detalhes arquitetônicos inusitados. O espaçoso interior apresenta três grandes cúpulas do século XII, conhecidas como abóbadas "Angevin Gothic" ou "Plantagenêt". A não perder são os vitrais medievais, em particular a janela " Glorificação de la Vierge ".

A uma curta caminhada ao sul da catedral, o Musée des Beaux-Arts tem uma soberba coleção de belas artes alojadas em um imponente hôtel particulier (mansão) do século XV que está listado como Monumento Histórico. Um salão abobadado do século XV e um prédio do refeitório do século XVII também são usados ​​para exibir parte da coleção do museu.

Outro marco imperdível é a Collégiale Saint-Martin , uma igreja românica com elementos que datam das eras merovíngia (séculos V e VI) e carolíngia (século X), além do período gótico.

Outras atrações culturais incluem a Galerie David d'Angers , que exibe as esculturas de Pierre-Jean David em uma abadia reformada do século XIII; o Musée Jean Lurçat et de la Tapisserie Contemporaine , que apresenta tapeçarias contemporâneas; e o Musée Pincé , dedicado a antiguidades gregas, egípcias, romanas (e outras).

Para famílias com crianças, vale a pena fazer uma viagem de 10 minutos fora do centro da cidade de Angers para visitar a Terra Botanica . Este parque de diversões único encontra-se dentro de jardins extraordinários onde florescem milhares de espécies de plantas. Todos os passeios e exposições no parque apresentam um tema botânico.

Hospedagem: onde ficar em Angers

Mapa de Angers – Atrações (Histórico)

14. Chinon e Château d'Ussé

Castelo d'Usse

Com seu castelo em ruínas aparecendo de cima em um cume íngreme de uma colina, a cidade de Chinon tem um ambiente romântico. A Forteresse Royale de Chinon remonta ao século X e é uma obra-prima da arquitetura medieval.

Em 9 de março de 1429, Joana d'Arc teve um importante encontro com o delfim Carlos na fortaleza. Durante esta reunião, Carlos foi convencido a enviar seu exército para acabar com o cerco de Orléans (um evento crucial durante a Guerra dos Cem Anos) e se tornar rei (mais tarde ele foi coroado Carlos VII em Reims).

A cidade velha fica entre a fortaleza e o rio Vienne. A Rue Voltaire , com suas casas dos séculos XV e XVI, e a Igreja de Saint-Maurice , do século XII, merecem uma visita.

Uma visão de uma fantasia de conto de fadas está a 12 quilômetros de Chinon no Château d'Ussé , o castelo que inspirou Charles Perrault a escrever "A Bela Adormecida ". Este castelo de propriedade privada é o lar do Duque de Blacas e sua família.

O Château d'Ussé possui uma grande escadaria projetada por Jules Hardouin-Mansart, um dos arquitetos do Château de Versailles. Nos belos terrenos do Château d'Ussé, o jardim formal francês foi criado por André Le Nôtre, que paisagista de Versalhes.

Hospedagem: Onde Ficar em Chinon

15. Le Mans

Le Mans

Rodeado por vestígios de antigas muralhas galo-romanas e repleto de charme do velho mundo, a parte histórica de Le Mans conhecida como " Cite Plantagenêt " é uma deliciosa fuga do mundo moderno. Esta jóia de uma cidade velha cobre 20 hectares, repleta de ruas de paralelepípedos, casas em enxaimel e mansões renascentistas.

A principal via da Cité Plantagenêt é a Grande Rue . Os turistas devem parar para observar a mansão renascentista, Maison d'Adam et d'Eve (69 Grand Rue no cruzamento da Rue du Bouquet), antes de caminhar pela Rue de la Reine Bérengère até chegar à Cathédrale Saint-Julien , famosa por suas arcobotantes e vitrais medievais.

Outra atração turística importante perto da catedral no coração da Cité Plantagenêt é o Musée de la Reine-Bérengère . Este museu é dedicado à história e cultura regional. Um destaque da coleção é a variedade de pinturas de paisagem do século XIX.

Também dentro da Cité Plantagenêt encontram-se dois agradáveis ​​espaços verdes, a Praça do Bicentenário na Rue de la Verrerie, que tem um roseiral e bancos para relaxar, e a Praça Robert Triger , com vista para a catedral e um pequeno jardim de plantas aromáticas .

Do lado de fora da Cité Plantagenêt está o Musée de Tessé , um museu de belas artes que exibe pinturas, esculturas e objetos decorativos dos séculos XIV a XX, além de antiguidades egípcias, incluindo uma reprodução do túmulo de Nefertari.

Também além da Cité Plantagenêt está a Eglise Notre-Dame-de-la-Couture , uma antiga abadia beneditina com uma estátua da Virgem e do Menino esculpida pelo renomado artista renascentista Germain Pilon.

Na margem direita do rio Sarthe, a Eglise Notre-Dame-du-Pré oferece a oportunidade de experimentar um sereno santuário românico.

Claro, os entusiastas do automobilismo vão querer visitar o Musée des 24 Heures du Man s perto da pista de corrida Circuit des 24 Heures. Este museu apresenta a história da corrida automobilística de Le Mans e exibe Ferrari, Porsche, Jaguar e outros carros de corrida, incluindo veículos vencedores reais.

Hospedagem: Onde Ficar em Le Mans

16. Saumur

Saumur

A meio caminho entre Angers e Tours, a cidade medieval de Saumur está no coração da região histórica de Anjou, onde a paisagem pastoril é pontilhada de bosques, colinas cobertas de vinhas, campos de flores e pequenas fazendas.

Saumur tem um dos mais impressionantes castelos do Vale do Loire, construído no século XIV em uma colina acima do rio Loire, criando uma impressão impressionante de longe. Originalmente, o Château de Saumur era propriedade dos Condes de Anjou. Mais tarde, foi convertido em residência real por Luís IX (São Luís) no início do século XIII.

O Château de Saumur contém o Musée de Saumur , que possui uma coleção de obras de arte decorativas, móveis, tapeçarias e cerâmicas dos séculos XIV a XVIII. Também a não perder são os jardins do castelo e o terraço ao ar livre com vista para a paisagem do Vale do Loire.

Os interessados ​​na gastronomia francesa podem descobrir um importante ingrediente culinário que é cultivado na região de Saumur: " Champignons de Paris " (conhecidos como "cogumelos de botão"). O premiado ingrediente culinário é destinado ao uso em Coq au Vin (frango ao molho de vinho), Boeuf Bourguignon (Bovino Borgonha), quiches tradicionais e outras receitas.

O Musée du Champignon oferece aos visitantes um vislumbre do intrigante mundo dos cogumelos. Dentro das cavernas geladas do museu estão mais de 250 espécies de cogumelos selvagens, juntamente com exposições educativas sobre como os cogumelos crescem. Todos os anos, o museu colhe 10 toneladas de cogumelos, incluindo ostra, shiitake e cogumelos de botão.

Hospedagem: Onde Ficar em Saumur

17. Chateau de Montreuil-Bellay

Castelo de Montreuil-Bellay

O Château de Montreuil-Bellay, do século XI, foi projetado como uma cidadela inexpugnável por Foulques Nerra, o Conde de Anjou. No final do século XV, o castelo serviu como uma propriedade rural em vez de uma fortaleza. O austero edifício, com 600 metros de muralhas e 13 torres de defesa, foi transformado num luxuoso palácio.

Aberto ao público para visitas guiadas , o Château de Montreuil-Bellay permite ao turista ver dois níveis do edifício: as caves e os quartos totalmente mobilados do piso térreo, incluindo o quarto da Duquesa de Longueville ; uma cozinha medieval bem conservada; uma sala de jantar com teto com vigas tradicionais; e uma pequena sala de música.

Os terrenos do castelo incluem jardins verdejantes, repletos de tílias frondosas e rosas perfumadas. Também na propriedade está a igreja Collégiale Notre-Dame do século XV, decorada com os brasões dos Lordes do castelo.

Endereço: Château de Montreuil-Bellay, 49260 Montreuil-Bellay

18. Chateau de Villandry

Castelo de Villandry

O Château de Villandry é conhecido por seus lindos jardins, criados durante a era renascentista. O jardim ornamental formal foi criado no século XVI. Fileiras ordenadas de arbustos bem cuidados e canteiros de flores arrumados distinguem o paisagismo.

O terreno também inclui uma horta , com vegetais dispostos em formas geométricas decorativas, e um jardim de ervas com 30 variedades de ervas culinárias e medicinais, plantadas em canteiros circulares para simbolizar a eternidade. Outros destaques incluem um labirinto e a vista da vila de Villandry e sua igreja românica ao longe.

O aguardado Nuits des Mille Feux (Noites das Mil Luzes) do castelo acontece em várias noites de fim de semana em julho e agosto, quando os jardins são iluminados com 2.000 velas. During these special nighttime openings, visitors can take a magical stroll through the gardens while enjoying entertainment and fireworks.

Address: 3 Rue Principale, 37510 Villandry

Official site: https://www.chateauvillandry.fr/en/

19. Loches

Loches

Listed as one of the " Plus Beaux Détours de France " (Most Beautiful Detours of France), the historic town of Loches offers old-world charm, alluring gardens, and picture-perfect scenery alongside the Indre River, a left-bank tributary of the Loire.

On the hill above the modern section of Loches is the Cité Médiévale , the medieval city, fortified by a two-kilometer circuit of ramparts. Tourists enter the Cité Médiévale through the 14th- to 15th-century Porte Royale . Within the walls is a captivating medieval world of winding cobblestone streets, quiet pedestrian lanes, and ancient Tuffeau stone buildings.

Built on a rocky spur (inside the Cité Médiévale) is the Collégiale Saint-Ours , a Romanesque church originally founded in 962 but mostly dating to the 12th century, and the Château de Loches , dating from the 15th to 16th centuries.

A delightful 18-kilometer detour from Loches (or 30 kilometers from Chenonceaux), Montrésor is one of France's " Most Beautiful Villages ." The village is perched above the Indre River and crowned by the Château de Montrésor. Visitors will enjoy wandering the quaint medieval streets and visiting the château and the 16th-century Collégiale Saint Jean-Baptiste .

Accommodation: Where to Stay in Loches

20. Abbaye Royale de Fontevraud

Abbaye Royale de Fontevraud

One of the largest surviving medieval monasteries in Europe, the Abbaye Royale de Fontevraud is nestled in a verdant valley near the Loire River. The Benedictine abbey was founded in 1099 by an eclectic and iconoclastic preacher named Robert d'Arbrissel , considered a radical because he created a community for people of diverse social backgrounds.

The abbey was always run by an abbess, who governed both male monks and female nuns. A succession of 36 abbesses ran the abbey over the course of seven centuries. Queen Eleanor of Aquitaine , wife of King Henry II of England, had strong ties to the abbey, which was her favorite place of worship. During the last years of her life, Queen Eleanor lived at the abbey.

The Fontevraud Abbey is open to the public for self-guided and guided tours. Visitors can see the 12th-century Romanesque abbey church ; the cloister; the kitchen , complete with the original fish smokehouse used to make smoked salmon; and a lush garden planted with vegetables, herbs, and fruit trees.

Another highlight of visiting the abbey is its haute-cuisine restaurant . For those who would like to spend the night at a spiritually inspiring retreat, the upscale hotel on the property pampers guests with luxurious, contemporary-style rooms in the former Saint-Lazare priory.

The Royal Abbey of Fontevraud could be a good addition to a sightseeing itinerary with Saumur (14 kilometers way) and Chinon (16 kilometers away).

Address: Abbaye Royale de Fontevraud, 49590 Fontevraud-l'Abbaye

Official site: http://www.fontevraud.fr/en/

21. Château de Beauregard

Château de Beauregard

This picture-perfect Renaissance château is in the heart of the Loire Valley, just 10 kilometers from Blois and 20 kilometers from Chambord. Originally a manor house, the Château de Beauregard became the hunting lodge for Francis I , who reigned during the first half of the 16th century.

During the 16th and 17th centuries, the castle served as a residence for the king's ministers. This stately building reflects the grandeur of its rich heritage. Three centuries of France's history are represented in the château's Portraits Gallery , with 327 portraits of kings and important political figures.

An expansive parkland surrounds the castle, including gardens planted with ancient cedars, cherry blossom trees, and flowering plants. Depending on the season, vibrant azaleas, camellias, rhododendrons, and a hundred variety of fragrant heirloom roses enliven the grounds.

Those who spend more time wandering will come across the ruins of a 14th-century chapel , a landmark on the Chemin de Saint-Jacques medieval pilgrimage trail.

Address: 12 Chemin de la Fontaine, 41120 Cellettes

Official site: http://www.beauregard-loire.fr/en/

22. Vendôme

Vendôme

This historic town was an important medieval pilgrimage destination. The Abbaye de la Trinité , was a stopover, close to Saint Martin's tomb in Tours, along the pilgrims' road to Santiago de Compostela.

At the center of Vendôme is the Place Saint-Martin , and nearby is the Tour Saint-Martin , all that remains of a Renaissance church. Other noteworthy churches in Vendôme include the Chapelle Saint-Jacques , a Gothic chapel now used for cultural expositions, and the 15th-century Eglise Sainte-Marie-Madeleine , with lovely stained-glass windows.

One of France's Most Beautiful Villages ( Plus Beaux Villages ), Lavardin is 18 kilometers away from Vendôme amid the rolling hills and cliffs of the Loire Valley. Lending an element of romance to the village are the ruins of an old fortified castle that withstood an attack by Richard the Lionheart but was overtaken by King Henry IV's troops.

Accommodation: Where to Stay in Vendôme

23. Châteaudun

Châteaudun

Châteaudun is perched high on a rocky outcrop, the perfect defensive location during the Middle Ages. In the 12th century, the Count of Blois chose this lofty, difficult-to-access spot to build a fortress featuring a massive 31-meter tower, and that feudal castle is considered the first château of the Loire Valley.

In the mid-15th century, the Château de Châteaudun became the property of comrade-in-arms and close friend of Joan of Arc Jean de Dunois , who tore down the old wing of the castle to construct the Sainte-Chapelle (a Holy Chapel designed to hold a relic, the Cross of Christ).

After the Hundred Years' War, the château was enhanced in Renaissance style to suit a more leisurely and luxurious way of life. The room decor became more refined, and large kitchens were added to prepare princely meals.

On the castle's attractive grounds, the unique hanging garden reflects a taste for the lavish. From the château's outdoor terrace are stunning views of the Loire landscape.

Near the château is the old town of Châteaudun, a jumble of cobblestone pedestrian streets enclosed within ancient ramparts. While strolling atmospheric lanes, visitors will discover quaint half-timbered houses (mainly on Rue Saint-Lubin and Rue des Huileries ) and historic churches, including the Eglise de la the Madeleine with a Romanesque facade.

Tourists will also enjoy the town's pleasant parks and the wide selection of shops and restaurants. An excellent choice is Aux Trois Pastoureaux , a traditional restaurant that offers seasonal cuisine made from scratch and a "medieval menu" that's fun for tourists.

Outside the old town, in the more modern area of Châteaudun (at 3 Rue Toufaire), is the Musée des Beaux-Arts et d'Histoire Naturelle (Museum of Fine Arts and Natural History), which displays a diverse collection of archaeological objects, paintings, fine porcelain, and interior decor.

24. Abbaye de Fleury

Abbaye de Fleury

In the little village of Saint-Benoît-sur-Loire, the Abbaye de Fleury is an oasis of peace and spirituality. The architecture and the rural setting create a sense of tranquility that is ideal for meditation.

This Benedictine abbey was founded in the 7th century and its basilica, built between 1067 and 1218, is one of the finest Romanesque churches in France . The most outstanding feature of the church is the porch tower, with its ornately carved capitals.

Inside the 12th-century crypt are the relics of Saint Benedict , brought here from the Abbey of Monte Cassino (near Naples in Italy) in the late 7th century.

The monastic community of the Abbaye de Fleury was dissolved at the time of the French Revolution but was re-established in 1944 by a group of Benedictine monks. Today this working monastery is home to a community of 27 monks.

In order for residents to fulfill the monastic ideal of creative work, the Abbaye de Fleury has an Atelier de Porcelaine , where monks handcraft porcelain plates, mugs, and bowls, and an Atelier de Confiserie , where specialty confections such as fruit candies, caramels, and honey bonbons are created. These artisanal products are available at the abbey's boutique .

Although much of the abbey is reserved for use by the monastic community, the basilica is open to the public ; visitors may spend time in prayer or take a guided tour (on Saturdays and Sundays from March through October). The abbey also welcomes pilgrims who arrive here to venerate the relics of Saint Benoît.

Address: Place de l'Abbaye, 45730 Saint-Benoît-sur-Loire

25. Château de Villesavin

Château de Villesavin

The Château de Villesavin was created by French and Italian master craftsmen and builders who had constructed grand royal palaces such as Chambord. Unlike many castles of the Loire Valley, this 16th-century manor house has been well maintained in its original state for four centuries and today is still a private home , owned by the Sparre family.

The château's 27-hectare property includes tranquil green space and pristine forests filled with many animals. Visitors can often see deer, rabbits, and squirrels. Kids will have fun at the castle's Ferme des Petits, a miniature farm where chickens, cows, goats, rabbits, and sheep are raised.

The property includes the Musée du Mariage , with a collection of vintage wedding dresses, and trousseau à la chambre nuptiale (bridal trousseau) items, and the Musée de Voitures Hippomobiles et d'Enfants , which displays 19th-century horse-drawn vehicles and children's cars that were pulled by dogs, goats, or sheep.

The Château de Villesavin is in the small village of Tour-en-Sologne, which is just 10 kilometers away from the Château de Chambord.

Address: Château de Villesavin, 41250 Tour-en-Sologne

26. Château de Sully-sur-Loire

Château de Sully-sur-Loire

Like the castles of fairy-tale imagination, the Château de Sully-sur-Loire is encircled by wide moats that are filled with water. Multiple turreted towers add to the storybook impression.

The imposing appearance reflects the original military purpose of the medieval château. When Maximilien de Béthune (the Duke of Sully) bought the property in the early 17th century, he added an artillery tower and defensive walls reinforced by canons to ensure an impenetrable fortress.

The interior has been updated throughout the centuries, but has retained much of its medieval character. Especially interesting are the apartments of the Duke of Sully and his wife, and the Salle d'Honneur family portrait gallery. The château also has a large park, offering a peaceful retreat in nature.

Address: Chemin de la Salle Verte, 45600 Sully-sur-Loire

Official site: http://www.chateausully.fr/en/

27. Château de Brissac

Château de Brissac

A remarkable piece of living French history, the Château de Brissac has been in the same family for more than twenty generations. It is currently owned by the 13th Duke of Brissac, descendants of Lord René de Cossé, who purchased the castle in 1502. The Marquis Charles-André and the Marquise Larissa de Brissac reside in the château along with their four children.

Besides its prestigious heritage, the Château de Brissac has the distinction of being the tallest château in the Loire Valley, thanks to its seven stories and 204 rooms.

The majestic castle is set in a bucolic parkland with many benches, and walking paths. The palatial interior features rooms with gilded ceilings, exquisite furniture, and Venetian chandeliers. One of the most delightful rooms is the castle's 200-seat Belle Epoque opera house .

For those who'd like to feel like landed gentry for a few nights, the castle offers bed and breakfast accommodations. Guest rooms are decorated with authentic antique-style furnishings and have views of the park's woodlands and meadows.

Address: Château de Brissac, 49320 Brissac en Val de Loire

Official site: https://chateau-brissac.fr/

Similar Articles

Most Popular