Os documentos PowerPoint com frisos temporais legendados e ilustrados, conseguiram, através de atividades motivadoras e práticas, desenvolver competências cognitivas, artísticas e altitudinais em todos os presentes. Os alunos ficaram a conhecer todo o percurso marítimo dos grãos de cacau, vindos da América do Sul e do continente africano, até chegarem à Europa e serem transformados em barras de chocolate, que podiam ser apreciadas pelas famílias abastadas, pertencentes à aristocracia. O workshop dedicado ao chocolate, realizado na Escola de Pastelaria de Barcelona, na qual está integrado o Museu do Chocolate, foi um dos momentos altos desta formação. Aí cada aluno teve a oportunidade de aprender, recorrendo aos cinco sentidos a preparação do chocolate, através de confeções ministradas por uma formadora.

Os peddy paper realizados, seguindo os passos de Colombo e as casas de Chocolate da cidade, as diferentes visitas de estudo, nomeadamente, ao Museu Etnológico das Culturas Mundiais, em Barcelona, à Casa Museu Amantller, junto à Casa Batlló, onde é evidente o estilo modernista de Gaudí, ao Museu do Torrão e do Chocolate, em Agramunt, que congrega uma fábrica artesanal, inaugurada no século XVIII, ao Mosteiro de Vallbona, onde foi produzido o chocolate pela primeira vez em Espanha, bem como todos os workshops, foram registados em fotografia e trabalhados, pelos grupos transnacionais em trabalho colaborativo, em diversas aplicações (PADLET; SEPPO) e editores de vídeo e de imagem, que resultaram em materiais pertinentes, criativos e dinâmicos, os quais foram partilhados nos murais digitais das diferentes escolas e do próprio projeto. Assim, todos os alunos, professores, encarregados de educação e público em geral puderam acompanhar as publicações diárias partilhados nas redes sociais e no Twinspace do projeto.
Nos tempos livres, depois das atividades, as alunas visitaram ícones da cidade, como a Sagrada Família, o Museu de Arte da Catalunha, o Parc Guell e o Montjuic, onde se situa a aldeia olímpica e o museu Miró. As famílias anfitriãs foram incansáveis.
A semana terminou com a finalização dos trabalhos, com a avaliação do projeto em formulário Google e com a entrega de certificados de participação a todos os presentes.

Existiu interdependência positiva – sentimento do trabalho conjunto para um objetivo comum, no qual cada participante se preocupou com a sua aprendizagem, mas também com a dos colegas; desenvolveram-se competências interpessoais de comunicação, confiança, liderança e de autonomia. Valorizou-se o processo. Construíram-se produtos. Solidificou-se a consciência europeia. Através do trabalho colaborativo, e do método inclusivo, aliados à temática do projeto, tanto professores como alunos saíram mais ricos.